Ligando os … ou melhor os blogs

29 03 2009

Segui o conselho de Steve Jobs e “liguei os pontos”, ou melhor, os blogs.
Em minhas andanças pelo ciberespaço, visitei dois blogs:Em busca de Zaratustra e Meu fichário, ao ler o post de cada um notei que se tratavam do mesmo assunto, porém com abordagens diferentes mais opiniões semelhantes.
Pensei em abordar o assunto também, porém me achei tão impressionada pelo outros que havia lido que nem o fiz. Mas não ficou por isso, em outro dia, em outra visita, há outra casinha virtual “Blog do Tas”, novamente o mesmo assunto.
Então, não tive muita saída e aqui estou eu falando da tímida Educação, que me incomodou esta semaninha.
Para mim a Educação é sim solução para a maioria de nossos problemas. Aliás, se não for para todos. E apostaria todas as minhas fichas nela e mais colocaria minhas mãos no fogo.
Acredito que uma boa formação social e intelectual colabora para o desenvolvimento em todas as áreas, contudo não são todos os que pensam assim. Na realidade os que deveriam pensar e colocar em prática são os mais incrédulos e também nós que acreditamos não fazemos muito. Precisamos admitir que todos tem uma parcela de culpa pra tudo chegar onde chegou, ou melhor não chegou ainda, há um futuro grande pela frente.
De fato, ninguém faz nada. Esperneamos, ficamos indignados, sabemos que há o problema e conhecemos a solução, porém não aplicamos. Somos acostumados, adestrados, anestesiados, desacreditados.
Será que se tivéssemos mesmo a oportunidade de proporcionar e desfrutar de uma educação sem fronteiras e preconceitos, que se adequasse a cada indivíduo explorando assim o que cada um tem de bom e diferente, tudo mudaria? Estaríamos em uma sociedade mais igualitária e justa?
As perguntas sempre são bem vindas, pelo menos para mim, acho que duvidar das coisas nos faz enxergar mais além, nos traz novas possibilidades ou nos mostra as que não enxergamos de primeira.
No momento tenho só as perguntas, não sei as respostas, mas as busco se não encontrá-las pelo menos tentei e/ou encontrarei respostas para perguntas antigas e/ou novas perguntas para novas respostas.
Deixo aqui, a palestra de Sir Ken Robinson, pesquisador inglês, sobre educação. Para saber mais visite a casinha do Tas, que rima infeliz, rs.

Casinhas:
Em busca de Zaratustra
Meu fichário
Blog do Tas

Anúncios




Kafka

29 03 2009

metamorfose-link-0121

Imagine-se em uma bela manhã, levantando-se da cama e lutando com aquela mulher do lado chamada “preguiça”. Quando você consegue abrir os olhos direito para ver a cor do dia e se espreguiça na cama para levantar-se, nota que há algo diferente ali, mas claramente não ali ou aqui, não no ambiente, mas em você.  É camarada algo estranho aconteceu, sim, você se transformou em algo monstruoso.

Você é capaz de sentir e pensar como um ser humano, vê espantado as mudanças causadas por sua transformação abalarem seu pequeno mundo familiar e se prepara para o pior que ainda virá.

Essa é a proposta de Franz Kafka em A Metamorfose. O jovem Gregor Samsa vive uma realidade angustiante, que nos faz refletir sobre a falsidade da condição humana.

Sutilmente Kafka, nos lembra da verdadeira natureza humana, somos animais, racionais.

  • O homem é dotado de inteligência abstrata, pois pode através dos símbolos fazer links/associações e se torna capaz de reorganizar/modificar o mundo, é consciente da finalidade, enquanto os animais são dotados de inteligência concreta, pois precisam da experiência vivida “aqui e agora”. Porém essas particularidades não excluem nossa verdadeira condição. E isso fica claro no decorrer da história, as mudanças ocorridas com Gregor não retiram sua humanidade, mas dão ênfase a sua face animalesca e isso de certa forma influencia suas relações gerando conflitos sérios.
  • Li atualmente uma citação de Saint Exupéry: “A verdade para o homem é o que faz dele um homem.”

Com Gregor não foi diferente disso, a verdade fez-se realidade. E conosco, creio eu também não é tão diferente assim, precisamos é tomar cuidado para que uma mentira muito dita não se torne verdade e realidade estabelecida.

Outros livros de Kafka: O processo e o castelo.

E para saber um pouco  mais: http://almanaque.folha.uol.com.br/kafka.htm

Foto: http://www.magopaco.com/category/basico/

  • Filosofando – Introdução a Filosofia. Maria Lúcia de Arruda Aranha e Maria Helena Pires Martins.

A todos, um belo e estranho dia!  : )